Futebol

O Top 5 da histórica janela de transferências da Europa

Mais caros, empréstimos, os de graça e os bons negócios do Verão 2021/22

2 de setembro de 2021 às 16:05 por | -- comentário(s).


Messi, CR7 e Grealish mexeram com o mercado na temporada (Divulgação/PSG/Manchester United/Manchester City)

A pandemia ainda refletiu bastante no mercado de transferências de Verão 2021/22 da Europa. Os times precisaram buscar alternativas e entre tantas soluções encontradas, vivenciamos, simplesmente, uma das janelas mais históricas do futebol - e isso com clubes gastando “bem pouco”.

Pode parecer loucura o que você acabou de ler, mas não é. Desde a famosa janela Neymar-Barcelona/Bale-Real Madrid, o mercado da bola tem vivido loucuras atrás de loucuras. Jogadores estão inflacionados e mesmo contratações pequenas são feitas com valores astronômicos.

Nesta época de vacas magras, foi necessário pensar em como reforçar elenco contendo os gastos e, basicamente, os times encontraram três formas: jogadores em fim de contrato, empréstimos e negociar atletas abaixo do valor de mercado.

A esmagadora maioria das negociações bombásticas desta janela aconteceu desta maneira e são poucos os casos de atletas comprados por valores acima do que estavam cotados no mercado. O resultado foi um período histórico onde a quantia gasta não reflete o impacto que ela teve em muitos times.

Os jogadores de graça

Foi a grande atração desta janela de transferências, o PSG foi quem mais mandou bem, trazendo Lionel Messi, Sergio Ramos e Gianluigi Donnarumma de graça. Neste mesmo formato, o Real Madrid fechou com David Alaba, o Barcelona adquiriu Memphis Depay, a Inter agora conta com Hakam Calhanoglu e por aí vai.

Você pode se perguntar como tanto jogador bom estava livre assim e os motivos são vários. O Barcelona não tinha condições econômicas de renovar com Messi, Sergio Ramos está em idade avançada, Donnarumma e Calhanoglu queriam sair do Milan, assim como Depay no Lyon e o Bayern quis se desfazer de Alaba para aliviar a folha salarial e renovar o elenco.

Eles foram apenas alguns dos jogadores que passaram por isso, mas os exemplos são vários. A seguir, veja a lista com os cinco jogadores mais valorizados do mercado que mudaram de time de graça nesta janela:

Os empréstimos

Outra forma de contratar bons jogadores foi pegá-los provisoriamente, por apenas uma temporada. Talvez você não se lembre, mas há alguns anos isso foi prática bem comum. No entanto, recentemente, essa modalidade de negócio na Europa ficou mais reservada a clubes menores ou atletas que são promessas.

O Atlético de Madrid se envolveu em dois empréstimos. Primeiro, cedeu Saúl Ñíguez ao Chelsea para, no dia seguinte, repatriar Antoine Griezmann, do Barcelona, por uma temporada. O PSG também fechou com Nuno Mendes, do Sporting, por um ano até decidir se vai comprá-lo ou não.

Confira agora os jogadores mais valorizados no mercado que foram emprestados por seus times:

Os bons negócios

Se antes da pandemia qualquer jogador era negociado por valores inflacionados, com ela muitos clubes começaram a buscar bons negócios. Isso resultou em uma série de contratações de jogadores que foram adquiridos por valores muito abaixo do que valem no mercado.

Alguns, como Jadon Sancho, saíram por um pouco menos. Avaliado em 100 milhões de euros, foi comprado pelo Manchester United por 85 milhões de euros, quase o “valor cheio”. O mesmo clube inglês conseguiu uma verdadeira pechincha por Cristiano Ronaldo, que avaliado em 45 milhões de euros custou aos cofres dos Red Devils só um terço disso (15 milhões de euros).

A seguir, veja quem são os jogadores mais valiosos que saíram por valores consideravelmente abaixo dos seus respectivos valores de mercado:

As mais caras

A janela foi econômica, no geral, mas ainda tivemos algumas contratações bem caras. Poucas delas foram "inflacionadas", isto é, feitas por um valor muito maior do que o jogador estava avaliado. Jack Grealish, do Manchester City, saiu 80% mais caro do que seu valor, assim como Ben White, do Arsenal, contratado por 107% a mais, sendo as duas grandes exceções.

Romelu Lukaku foi “só” 15 milhões de euros mais caro do que devia e Sancho, como já falamos, 15 milhões de euros mais barato. Abaixo, veja a lista das cinco contratações mais caras desta janela: