Olimpíadas

O primeiro ouro da história do surfe em olimpíadas é brasileiro

Conheça Ítalo Ferreira, surfista que dominou as ondas na Praia de Tsurigasaki e conquistou o primeiro ouro para o país

28 de julho de 2021 às 20:49 por | -- comentário(s).


Italo Ferreira venceu Kanoa Igarashi e conquistou o primeiro ouro do Brasil em Tóquio (Foto: Jonne Roriz/COB)

À exceção daqueles que já estão familiarizados com o esporte, é inegável que o nome de Gabriel Medina, 27, tenha carregado consigo maior responsabilidade e também o favoritismo do primeiro ouro da história do surfe em olimpíadas. Mas foi com o potiguar Ítalo Ferreira, de 27 anos, que o Brasil alcançou o lugar mais alto do pódio nas Olimpíadas de Tóquio-2020 e, revendo alguns números obtidos pelo atleta em sua carreira, fica nítido que o grande feito alcançado pelo atleta não é nenhuma surpresa. 

Com menos holofotes sobre ele, Ítalo teve uma participação impecável nos Jogos Olímpicos de Tóquio e venceu todas as baterias que disputou. Até chegar ao ouro olímpico, porém, o surfista já ostentava uma extensa lista de títulos na modalidade. 

Quem é Ítalo Ferreira

O surfista de 27 anos é potiguar e daqueles com orgulho. Nem os títulos, prêmios e reconhecimento profissional fizeram Ítalo Ferreira sair de Baía Formosa, no litoral sul do Rio Grande Norte, onde vive até hoje. 

Foi na pequena cidade de 9 mil habitantes que, ainda menino e com apenas oito anos, Ítalo começou a despertar o interesse pelo esporte. Porém, o potiguar revelou em entrevistas que, até ganhar a sua primeira prancha dois anos depois, usava  até mesmo as tampas das caixas de isopor do pai, que vendia peixe na cidade, como prancha.

Aos 10 anos de idade, o surfista ganhou o seu primeiro campeonato local e, de lá para cá, a lista foi sendo recheada com títulos nacionais e internacionais.

Os títulos de Ítalo Ferreira 

Com apenas 14 anos de idade, Ítalo já dava indícios do que viria a se tornar, consagrando-se bicampeão mundial Pro Junior. Depois, em 2014, foi campeão brasileiro e se classificou para integrar o WSL (World Surf League), a elite do circuito. Em sua estreia, em 2015, foi o melhor novato, terminando em um incrível sétimo lugar aos 21 anos.

Porém, o auge da carreira foi alcançado quatro anos depois que Ítalo passou a integrar a elite do surf mundial. Em 2019, o potiguar foi campeão mundial da WSL, após uma vitória em Pipeline, no Havaí, sobre o bicampeão Gabriel Medina. Ítalo se tornou o terceiro brasileiro a conquistar o título mundial (depois de Gabriel e Adriano de Souza). 

Geração Brazilian Storm 

Ao lado de Gabriel Medina, Ítalo Ferreira é hoje o principal representante da "Brazilian Storm" (Tempestade Brasileira, como é chamada a geração de talentos do país). Os dois, inclusive, ocupam hoje as posições de número um e número dois do mundo na modalidade.